10 Bahiana no Harlem

(Denis Brean / Oswaldo Guilherme)

Gravada por Linda Batista em 1950, cinco anos depois do sucesso de “Boogie woogie na favela”. Desta vez o paulista Denis Brean, apesar de nunca ter ido ao Harlem, criava o estardalhaço que uma baiana causaria em Nova York. O personagem já povoava o imaginário americano pelo sucesso de Carmen Miranda

Quando a baiana foi no Harlem foi sambando
Se requebrando com cadência pra valer
A notícia correu de boca em boca
E a cidade ficou louca pra baiana conhecer
 
Mas a baiana nem sequer perdeu o jeito
Meteu os peitos, sambou como ninguém
E o povo do Harlem abafado, vendo o samba rasgado,
Entrou na farra também
 
E foi aí que a baiana fez a roda
Falou em moda e no seu balangandã
E o Joe Louis que sambava no asfalto
Gritou bem alto “baiana eu sou teu fã!”
 
Mas de repente o boogie woogie entrou em cena
E a baiana aproveitou pra demonstrar
Que no Brasil, junto do samba brasileiro,
Boogie woogie, boogie woogie também tem o seu lugar!
 
Harlem! Harlem! Harlem! Vais dançar na corda bamba
Harlem! Harlem! Harlem! Nós dançamos o teu boogie
E tu cantas nosso samba!

Voltar para página do cd

participação especial Pedro Miranda
voz e violão Antonia Adnet
piano Marcos Nimrichter
baixo Jorge Helder
bateria Antonio Neves
percussão Armando Marçal
sax tenor Eduardo Neves
trompete Aquiles Moraes
trombone Everson Moraes